Harry Potter: ver o filme ou ler o livro?

Harry Potter: ver o filme ou ler o livro?

Os dois!

Sendo bem direto eu sempre me fazia esta pergunta, até hoje…

Acabei a leitura do primeiro livro da saga Harry Potter e vou lhes contar uma coisa: foi ótima! Quando criança eu, como muitos, tinha visto o filme. As memórias eram falhas, mas como é um filme histórico e memorável, eu ainda lembrava de algumas partes. O estranho de tudo isso foi que algumas memórias estavam diferentes do que eu lembrava ao ver o filme. Como assim? Eu explico.

20417256

Em 2017, comprei o livro da Pedra Filosofal durante a Black Friday. Custou-me incríveis 1,75 (isso mesmo, foi uma super promoção inesquecível!). Apesar disso, e da beleza gráfica do livro, eu o deixei largado no canto da minha estante. Nunca tinha sequer começado a ler. Eu pensava: “Ah, já conheço a história. O que de interessante pode ter neste livro.” Ah… que engano meus amigos.

O livro é de uma magia incrível. Daqueles que você não consegue parar de ler. Bom, deve ter algum “feitiço” para isso… Brincadeiras a parte, eu terminei de ler em apenas 2 dias e, entusiasmado, parti para rever o filme e apreciar por mais uns momentos a alegria que havia sido a leitura.

Podem as memórias serem alteradas? Bom, eu não sei… mas as minhas foram. Tomei um susto ao perceber que muitas de minhas “memórias” talvez tenham sido apenas sonhos. Sonhos bons. As cenas que estavam em minha mente eram completamente diferentes das que eu via na tela de meu computador… mesmo assim, o filme ainda seguiu belo. Pois é amigos… as minhas memórias estavam diferentes da realidade.

harry-potter-e-a-pedra-filosofal-featured

Mas, relevando esse detalhe estranhíssimo da memória, este episódio de ler o livro ou ver o filme que tanto me atormentou por anos, cheguei finalmente a uma solução.  O filme é uma adaptação ótima, mas como uma adaptação teve que omitir detalhes belíssimos que estavam no livro. Então a solução é simples (e caso queiram, também podem segui-la ou experimentá-la): Vejam primeiro o filme. Se divirtam com as cenas e, se vocês gostaram muito do filme, leiam o livro. Eu acredito que rever as cenas que você acabou de assistir, com muito mais detalhes e segredos que só estão no livro, lhes trará uma experiência magnífica. Eu mesmo já adicionei alguns a minha lista de compras.

No mais, apreciem a arte. Assistir a filmes e ler livros são diversões que, por vezes, esquecemos de apreciar. Até a próxima! Abraços.

 

Fonte das imagens: Google Imagens

Anúncios
Puella Madoka Magica

Puella Madoka Magica

Eu estou amando o mês de janeiro. Percebi que é o mês “intelectualmente” mais produtivo do ano. Eu vejo mais séries, leio mais livros e as metas do ano estão bem fortes.  Como estou neste processo de aceitação e cumprimento das metas, uma das coisas que mais me motiva é assistir à NetFlix.

Quando um anime chega ao ponto de me fazê-lo maratonar, é que está na hora de escrever algo sobre ele.

7965._SX360_QL80_TTD_

O anime Madoka Magica há tempos estava como recomendação para mim, mas eu o ignorava cruelmente. Mal sabia eu o que estava perdendo.

O que me fez assisti-lo foi um post do League of Divas, grupo do Facebook que posta coisas relacionadas ao jogo League of Legends. Um usuário postou uma cena do anime que fazia referência a um personagem do jogo, e me motivou a dar uma chance ao anime.

Ao começar, devo confessar que até o episódio 6 eu estava achando a trama bem fraca. Apesar da beleza dos desenhos e do traço ser bem semelhante a HQ’s, eu não consegui me sentir captado pela beleza da história, mas isso mudou a partir desse episódio…

db301c1262705f931cabad2d84cd2a8f

Não vou dar spoillers. A partir daí a história se torna bem pessoal, mais dramática e, finalmente, cada episodio termina fazendo com que você queira assistir ao próximo, ao próximo, ao próximo e assim por diante.

Para recomenda-lo, devo dizer que se você gosta de histórias com boas reviravoltas no final, você vai gostar. Em uma época em que a magia e o “sonhar” estão sendo cada vez mais desvalorizados, dar uma chance a essa belezinha não custa nada não é?

Ah, a propósito, eu comecei a leitura de Harry Potter e também já me questiono: Por quê eu nunca tinha lido esse livro antes? Acho que tenho que acrescentar mais metas pessoais em 2019 e lutar para cumpri-las. Viva janeiro!

Abraços e até a próxima!

 

Edit:

Fonte das imagens: Google Imagens

Como foram as minhas metas em 2018

Como foram as minhas metas em 2018

Sim! Cá estou de volta com o já tradicional post de metas. Se você é meu leitor/amigo há algum tempo, sabe que somente no fim do ano corrente (ou no início do ano seguinte) eu revelo quais eram as minhas metas. Acho que isso trás mais eficácia na realização delas, pois sempre que “revelo” meus planos eles se tornam mais difíceis de serem realizados.

metas-para-emagrecer

Na virada de 2018 eu prometi o seguinte:

1 – Aprender espanhol – Falhei . Eu nem quero comentar, mas assim como na música da Pabllo só tenho a declarar: “Desculpe amor, pero no hablo espanhol”.

2 – Viajar para um país que fale espanhol – Falhei. Nem sequer viajei para lugar nenhum.

3 – Academia sem sair por nada! – Falhei miseravelmente. Desisto, realmente eu não consigo sobreviver em um ambiente como a academia.

4 – Viajem com Jessica e Cláudia – Falhei. Essa doeu demais, mas as condições financeiras e psicológicas desse ano não me permitiram realizar isso.

5 – Dizer mais NÃO – Consegui! Apesar de poucas falhas, esse foi um ano que eu consegui negar ser o tão “bonzinho” que sempre sou. Consegui dizer não para coisas importantes que me solicitaram. Isso me fez crescer como nunca!

6 – Não comprar mais livros físicos, por menor que seja o valor – Consegui! Eu não lembrava dessa meta. Devo admitir que comprei 2 livros digitais. ATENÇÃO: eu só fiz essa meta porque tenho livros ainda não lidos e desejo primeiro terminar as leituras acumuladas na estante para enfim partir para próximas.

7 – Guardar 20% dos ganhos (Nerdcast empreendedor 25) – Falhei. A crise foi apertada, não consegui guardar um tostão furado em 2018.

8 – Ler “Pai Rico Pai Pobre” e “O poder do hábito” – Falhei! Essa eu nem tenho justificativa.

9 – Desafio Cinematográfico 2018 – Essa eu consegui cumpri só parte. Não consegui ver os 54 filmes propostos, apenas parte da lista foi cumprida.

FINALIZANDO

Apesar dos pesares (não consegui cumprir quase nenhuma das metas a que me propus) segui confiante com muitas outras conquistas importantes, como a posse de minha casa, a compra de uma TV e um sofá. Coisas pequenas, mas que fizeram toda diferença. Eu já tenho a lista de desejos desse ano e espero cumpri-las. Aguardem que no fim de 2019 eu posto como fui durante o ano. Desejem-me sorte.

Abraços!

 

Fonte da imagem: Google Imagens

 

O que eu vi no Desafio Cinematográfico Faltou Foco 2018

O que eu vi no Desafio Cinematográfico Faltou Foco 2018

Esse ano de 2018, devo confessar que fui um fracasso no quesito “assistir a filmes”. Eu não sei nem bem o motivo, fui dominado por uma gigantesca preguiça nesse aspecto de minha vida, mas mesmo assim consegui cumprir alguns dos filmes indicados para o desafio.

Deixo também a ressaltar que infelizmente o blog FaltouFoco saiu do ar. Falei com o administrador e ele falou que pretende voltar, mas que isso pode demorar um pouco. Torço para que volte logo.

Também aproveito para me despedir do desafio proposto pelo blog, a partir desse ano, em cada ano me proporei a fazer um desafio de um blog diferente, assim ajudando na visibilidade de nossa mídia tão querida e ao mesmo tempo esquecida no tempo.

Sem mais delongas, vejam a seguir os filmes que me acompanharam no desafio de 2018:

9 – Um filme baseado em um Livro Best Seller da lista do New York Times: Comer Rezar Amar (2010).

fcfbb02f174066226dce7051c6c1eb8c

Sinopse: Liz deixa Nova York decidida a passar um ano viajando pela Itália, Índia e Bali em busca da descoberta pessoal através da boa comida, da meditação e da esperança de encontrar o amor verdadeiro.

Minha opinião: É um filme bom e bem tranquilo de se ver. Senti que o filme tentou não se aprofundar tanto no lado negativo da história da personagem, mas sim na beleza da vida. Eu entendi a história, porém sabe quando você assiste um filme e sente que já sabe toda a história nos primeiros minutos do filme? Pois é, por isso a nota nem alta, nem baixa. Nota 7 de 10.

10 – Um filme com mais de 70% de aprovação no Rotten Tomatoes: Guardiões da Galáxia (2014).

guardioes-da-galaxia_t59375

Sinopse: O impetuoso aventureiro Peter Quill se vê como objeto de uma caçada implacável após roubar uma misteriosa esfera cobiçada por Ronan, um vilão poderoso com ambição que ameaça todo o universo.

Minha opinião: Apesar do começo chato (tipo, as cenas iniciais explicando o contexto do personagem principal), o resto do filme é ótimo. Trilha sonora impecável e piadas simples. Tem boas cenas de ação e uma mensagem forte de amizade. Gostei. Nota 8 de 10.

11 – Com um título que tenha quatro palavras ou mais: O fabuloso destino de Amélie Poulain (2001)

d31003611517476892090c7dbf9316b8

Sinopse: Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique. Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo.

Minha opinião: Um filme incrível de bom. Como passou tanto tempo desapercebido pelo meu catálogo de filmes? A história é cativante do início ao fim. Senti a mesma emoção de quando leio os livros, querendo saber o que vai acontecer nas próximas cenas… Maravilhoso! Nota 10 de 10

12 – Um título com a primeira letra do Seu Nome: Long Shot (2017)

longshot-poster

Sinopse: Ao ser preso por um assassinato que não cometeu, Juan Catalan tenta provar sua inocência usando as cenas cortadas de um programa de TV.

Minha opinião: Um documentário bem rápido e com uma história legal. Não é daqueles que você fica depois falando pra todo mundo “você TEM que assistir isso…”, mas foi bem agradável. Nota 7,5 de

13 – Um filme de um gênero que você não gosta: O Abismo do Medo (terror – 2005)

7145a5ed6e5898e9110d815ffc5e42ae

Sinopse: Um ano após um trágico acidente, algumas amigas vão explorar uma caverna. Uma delas, Juno (Natalie Jackson Mendoza), sem avisar as outras, as levou para uma caverna que nenhuma pessoa tinha explorado. Logo elas descobrem que talvez alguém tenha entrado ali, mas nunca saído vivo.

Minha opinião: Agradeci a todos os santos possíveis por esse filme ter mais ação do que terror. Definitivamente é o gênero de filme que eu menos gosto, mas esse foi 100% suportável. Eu achei as cenas de ação bem empolgantes e a pitada de terror que deveria, eu acho, ser o gênero do filme, ficou pra trás. Nota 7 de 10.

14 – Longa de Animação Nacional: Historietas Assombradas – O Filme (2017)

1080x1620_1508949212

Sinopse: Aos 12 anos, Pepe mora com sua avó, uma bruxa-empresária e descobre que é adotado. Ao saber que seus pais estão vivos ele parte em uma aventura para encontrá-los.

Minha opinião: Tirando a insuportabilidade do personagem principal (cara, eles realmente conseguiram criam uma criança/monstro chata pra caramba), o filme é divertido. Os desenhos possuem um traço que eu nunca tinha visto antes e o capricho impressiona. Podem assistir e passar para as crianças que acho que elas vão gostar. Nota 7 de 10.

15 – Um filme de Suspense Nacional: O silêncio do céu (

430541-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Sinopse: Ao chegar em casa no meio da tarde, o roteirista Mário (Leonardo Sbaraglia) testemunha uma violação contra sua esposa Diana (Carolina Dieckmann) por dois homens desconhecidos. Oprimido, ele fica perplexo e não toma nenhuma atitude. Diana, sem saber que ele viu o crime, opta por manter tudo em segredo. O silêncio que cresce entre o casal nos dias que se seguem torna-se um tipo próprio de violência.

Minha opinião: Não gostei, achei muito forçada a narrativa do personagem principal. A todo momento ele tentando reforçar que sua força de vontade em lutar para vencer os medos da vida é o seu maior bem. Perderam a chance de uma ótima reviravolta ali no final quando a Carol vai ver o que está se passando… Não recomendo. Nota 3 de 10.

16 – Uma Estréia Nacional de 2018: Paraíso Perdido (2018)

0112379-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Sinopse: José tem três filhos, sendo um deles adotivo, e é avô de um casal de jovens. Sua família, marcada por perdas e desencontros, tenta ser feliz numa antiga boate chamada Paraíso Perdido, onde cantam músicas populares e românticas.

Minha opinião: Assisti a esse filme 1 dia antes da eleição presidencial. Ali vi a maravilha que é a pluralidade no Brasil. Querer calar a diversidade é impossível. Vejam, não tem como não se apaixonar pela história simples e cativante. Recomendado. Nota 10 de 10.

17 – Uma produção que ocorreu no Festival de Gramado: O roubo da taça (2016)

260x365_1470082261

Sinopse: No dia 19 de dezembro de 1983, a taça Jules Rimet, prêmio maior da Copa do Mundo de futebol e símbolo do tricampeonato brasileiro, foi roubada por três ladrões “pés de chinelo”. Por ironia do destino, a “copa” acabou derretida por um argentino.

Minha opinião:Eu não gostei do filme, particularmente pela brutalidade e o linguajar do personagem principal. Eu sei que houve a necessidade de replicar o linguajar bruto da época, com palavrões a todo momento, mas tem cenas tão forçadas que chega a ser ridículo. Não recomendado. Nota 2 de 10 (só não dou 1 porque a Thais Araújo sozinha tentou, mas não conseguiu carregar o filme nas costas).

18. Uma produção participante do Festival Sundance de Cinema: O mercador (2018)

tamta

Sinopse: Um comerciante viajante mostra a vida no interior da República da Geórgia, onde batatas são moeda e a pobreza esmaga qualquer ambição.

Minha opinião: Tomei um tapa na cara. É daqueles documentários que você deve assistir quando está se sentindo mal, apenas porque ele te mostra com exemplos concretos o que é realmente estar em uma vida difícil. Eu assisti a esse documentário com o coração apertado de saber que essa é a realidade da comunidade em que ele foi gravado e certamente indico e indicarei para todos! Recomendado. Nota 10 de 10.

19. Indicado ao Oscar por melhor Fotografia: Sicario (2015)

sicario-terra-de-ninguem_t99816_n6evmjr

Sinopse: Na crescente fronteira sem lei entre os Estados Unidos e o México, uma agente do FBI é exposta ao mundo brutal do tráfico internacional de drogas por membros de uma força-tarefa do governo que a escalam em seu plano para derrotar o chefe de um cartel mexicano.

Minha opinião: Não há como negar que a produção é linda. Mesmo eu que não sou muito chegado neste estilo de filme, este traz uma trama bem feita e simples. Apesar da simplicidade não há obviedades no roteiro. Gostei bastante. Recomendado! Nota 10 de 10.

20. Indicado ao Oscar por melhor Direção de Arte: Ave, César! (2016)

ave-cesar_t87624Sinopse: Hollywood, anos 1950. Edward Mannix (Josh Brolin) é o responsável por proteger as estrelas do estúdio Capitol Pictures de escândalos e polêmicas e vive um dia intenso quando Baird Whitlock (George Clooney), astro da superprodução Hail, Caesar!, é sequestrado no meio das filmagens por uma organização chamada “Futuro”.

Minha opinião: O filme é muito bom. Eu me surpreendi. Tenho certeza que não entendi muito bem as referências históricas cinematográficas utilizadas, mas mesmo assim a obra é impressionante em termos de qualidade e efeitos especiais. Recomendado. Nota 7 de 10.

28. Um filme B: Ai que vida (2008)

d7f5f521732b16038950fcab71a96040Sinopse: Em meados dos anos de 1990, a fictícia cidade de Poço Fundo, no interior do nordeste, está vivendo um verdadeiro caos em sua administração pública. O prefeito Zé Leitão (vivido pelo ator Feliciano Popô) é um corrupto de mão cheia, capaz de tudo pelo dinheiro, e o egoísmo é a sua principal característica.
Zé Leitão já governa Poço Fundo há quatro anos, mas nada fez pela cidade em seu mandato […].

Minha opinião: Assisti esse filme em uma livestream da Samira Close. Eu amei demais, já tinha visto partes cortadas, mas completo é uma obra prima. Eu fiquei perplexo! Recomendadíssimo! Nota 10 de 10.

31. Um filme com mais de 2 Horas – Caixa de pássaros (2018)

BirdBox_Verical-Main_PRE_BPOSinopse: Num cenário pós-apocalíptico onde o simples olhar pode te levar à morte, uma mãe e seus dois filhos atravessam um rio de olhos vendados em um barco, em busca de um lugar seguro.

Minha opinião – É um bom filme de ação, não achei tanto suspense nem drama. Dá pra assistir com a família porque as cenas de sangue são censuradas. Gostei apesar de achar um pouco grande. Sandra B. brilha e rouba a cena. Recomendado.

52. Um documentário sobre Questões Ambientais: Minimalismo: um documentário sobre coisas importantes. (2016)

minimalism-a-documentary-about-the-important-things_t203762_MzPx60CSinopse: Como seria sua vida com menos? MINIMALISM: A Documentary About the Important Things, um documentário da popular dupla do site The Minimalists, examina os muitos sabores do minimalismo, levando o público para dentro das vidas dos minimalistas de várias esferas da vida.

Minha opinião: sinceramente achei um pouco forcado o roteiro. Sei que por se tratar de um documentário são imagens reais e depoimentos reais, mas ali nos depoimentos tem um bocado de privilégios envolvidos. A mensagem para reduzir o consumo é boa, mas não sei se foi totalmente passada. É um bom doc, mas eu não recomendaria para amigos. Nota 4 de 10

 

FINALIZANDO

Bem, foi isso. Espero que tenham apreciado as minhas análises e que em 2019 venham mais filmes e séries. Um próspero ano para todos!

 

Fonte das imagens e sinopses: Filmow.com

NANCAST #6 – E agora, o que fazer?

NANCAST #6 – E agora, o que fazer?

Já está no ar mais uma edição do meu podcast! Essa semana saiu atrasado por conta da placa de som de meu computador simplesmente queimar. Pois é… mas estou tão motivado que nem isso me impediu. Resultado foi um programa excelente, um dos melhores! Aperta o play e confere:

 

NANCAST #6 – E agora, o que fazer?

“Tá, acabou esse plano. Agora eu vou…” Se você nunca parou e falou ou pensou nessa frase, esse momento vai acontecer. Já aconteceu comigo e nesse programa curto (porém épico) eu comento um pouco sobre como foi esse momento em minha vida.

Indicações
Desenho: She-Ra: A Princesa do Poder.
Livro: A Guerra dos Tronos. As Crônicas de Gelo e Fogo.

Redes Sociais: Twitter e Instagram @leandroJVsouza

Música de ambientação: Undercover (2018) – NEON NITECLUB

NANCAST #5 – O bom e o ruim.

NANCAST #5 – O bom e o ruim.

Mais uma edição do meu querido podcast! Eu confesso que a cada semana fico mais motivado com o projeto e a repercussão que tive com o último episódio, com comentários de amigos foi incrível! Aperta o play e confere o desta semana:

 

NANCAST #5 – O bom e o ruim.

A cada dia que passa a busca por um ser perfeito vem sendo cada vez mais implementada em nossas mentes. Seja de Joelma ao cantar o “Homem perfeito” no ao vivo da Amazônia ou mesmo nos concursos de “O melhor disso, o melhor daquilo”. Vem ouvir o que penso sobre essas definições.

Indico:
Canal da Samira Close – https://www.youtube.com/channel/UCnkhaZ34q4Dw9pgrpBkTcHg

EP do Davi – https://open.spotify.com/artist/5XqH779LPE3MY0wFSg9JY8

Canal da Bianca Alves – https://www.youtube.com/channel/UCFewvD8jJDhoz_XY2Van3_Q

Redes Sociais:
Twitter e Instagram @leandroJVsouza

Música de ambientação: Undercover (2018) – NEON NITECLUB

NANCAST #4 – Ser “o melhor”.

NANCAST #4 – Ser “o melhor”.

Aperta o play e confere!

NANCAST #4 – Ser “o melhor”.

Ah… A pressão social a qual somos impostos diariamente. Aqui falo os meus devaneios pós tristeza. A ficha de que não sou “o melhor” caiu em vários momentos de minha vida. Neste episódio conto alguns deles. Vem ouvir.

Indico:
Série: Chewing Gum
Livro: Cidades Mortas – Monteiro Lobato

Redes Sociais:
Twitter e Instagram @leandroJVsouza

Música de ambientação: Undercover (2018) – NEON NITECLUB